Archive for Agosto, 2003

VILMA E PEDRINHO: Condenação novelesca e trágico final feliz

Após uma cobertura novelesca da mídia, Vilma Martins Costa foi condenada nesta segunda-feira, 25 de agosto de 2003, a oito anos e oito meses de prisão em regime semi-aberto por ter seqüestrado seu filho de criação Osvaldo Borges Júnior, o Pedrinho. Para se ter uma idéia da gravidade da pena imposta, basta lembrar que a pena mínima do homicídio é de seis anos de reclusão.

A condenação de Vilma não devolverá à mãe biológica os anos perdidos de convivência com seu filho. Tão pouco servirá de exemplo para que outras pessoas deixem de subtrair crianças em maternidades, pois decididamente não parece ser este o modo mais racional de se “adotar” uma criança. A pena também não terá como finalidade que Vilma se redima e não volte a cometer tais crimes, pois é pouco provável que reincidisse diante desta tragédia familiar.

A pena de Vilma tem função meramente simbólica e seu destinatário não é Vilma, mas a mídia e a opinião pública por ela formada, que exigiam uma condenação. A função do Direito – que pelo menos em tese seria a de solucionar conflitos – corrompe-se diante das câmeras e torna-se um instrumento de satisfação dos anseios do público por um final feliz, que renderá os maiores índices de audiência.

É inegável que esta pena não interessa a Pedrinho que, não bastasse ter sido rotulado permanentemente como “o menino que foi seqüestrado na maternidade”, terá que suportar ver sua mãe de criação encarcerada e exposta pela mídia como personificação da maldade.

Não houvesse o assédio da mídia sedenta por vender uma história real com um final feliz repleto de conteúdo moral, o crime talvez já tivesse sido corretamente tipificado como subtração de incapazes e já estaria prescrito.

A venda e a exposição pública de casos como este fazem de nossos juízes roteiristas de novela, mais preocupados com seus índices de audiência do que com a verdadeira solução do conflito, em versão cinematográfica da Lei de Lynch.

A defesa pretende recorrer… Vamos aguardar ansiosos as cenas dos próximos capítulos.

Também publicado em: Observatório da Imprensa.

Anúncios

Agosto 27, 2003 at 11:28 am 5 comentários

Prova da existência de vida inteligente na magistratura nacional!

Muito boa esta decisão da magistratura catarinense… se fosse um consumidor da loja, “provando” uma tortinha, era só pagar no caixa que estava tudo bem, volte sempre! Agora a coitada da faxineira tem que ser humilhada?!?!

Melhor que isso, só se a indenização tivesse sido maior!

Lojas Americanas indenizarão faxineira por danos morais

Brasília – A rede Lojas Americanas foi condenada a pagar indenização por dano moral no valor de R$ 5 mil a uma faxineira de Florianópolis (SC) que pegou uma torta, com data vencida, da lixeira. Ela foi denunciada por furto e levada à delegacia em um carro da polícia. A Terceira Turma do Tribunal Superior do Trabalho não examinou o mérito do recurso da empregadora por questão processual. Dessa forma, foi mantida a decisão da segunda instância que considerou a providência adotada pela empresa excessivamente rigorosa e desproporcional à infração e expôs a empregada à humilhação pública desnecessariamente.

A decisão do Tribunal Regional do Trabalho de Santa Catarina (12ª Região) confirmou sentença que condenou as Lojas Americanas ao pagamento de indenização por dano moral. De acordo com o juízo de primeiro grau, “na esfera penal não se caracteriza como crime de furto a subtração de objeto que não apresente valor de afeição ou não represente uma utilidade para o proprietário”. Foi aplicado ao caso o chamado princípio da “irrelevância” ou “bagatela”.

A rede Lojas Americanas argumentou que a sua gerência em Florianópolis agiu “no exercício regular de seu direito” de comunicar à polícia a apropriação de mercadoria. “É direito da empresa, decorrente do seu poder diretivo, advertir a empregada quando percebeu que carregava consigo produtos da loja para fora da mesma”, justificou-se.

Ubiratan A.Miranda

FONTE: http://www.estadao.com.br/agestado/noticias/2003/ago/27/18.htm

Agosto 27, 2003 at 11:21 am 1 comentário

Prova de vida inteligente na juventude brasileira

Em tempos de “flash mobs” panacas, esta página se destaca com ações que variam de puro barbarismo a ativismo urbano da melhor qualidade! Destaque para as investidas contra a C&A e o McDonalds!

Você anda indignado com a televisão e sua programação vazia?
A Juventude Delinquente de Curitiba também e, como sempre, bolou outra
ação.
Leia com carinho mais esse “ataque” ao cotidiano rotineiro de uma grande
cidade.

E pra facilitar a vida de quem tem a paciência de ler nossos relatos,
apresentamos, em ordem cronológica, com links de navegação e tudo, a
sensacional:
ENCICLOPÉDIA DA DELINQUÊNCIA APLICADA AO COTIDIANO CURITIBANO:

ATAQUE UM: O Macarrão da Mamãe é Mais Gostoso
Um refeição feita dentro de uma loja de departamentos pode causar um transtorno
incrível a que não está acostumado a sair da rotina.

ATAQUE DOIS: O Crime Não Compensa
Qual o fim mais adequado a uma bela obra de arte? Um museu para ser transformada
em mercadoria? Achamos que não e preferimos invadir uma casa para presenteá-la a
um surpreso morador.

ATAQUE TRÊS: A Foto do Tijolo Na Vidraça Todos Acham Bonito (Mas o Tijolo Mesmo…)

A poesia está morta. Os canais de distribuição estão todos obsoletos. Optamos
por algo mais radical. Distribuir belas poesias com um estilingue e uma bolinha
de gude através das vidraças da classe média.

ATAQUE QUATRO: Quarenta e Dois Decibéis de Exorcismo
Uma cerimônia religiosa feita num banco para que os frequentadores destes
lugares do mal possam se livrar das chamas do inferno.

ATAQUE CINCO: Umas Surpresinhas Para Uns CD-Players
Fraude postal consiste em mandar coisas pelo correio para pessoas escolhidas ao
acaso. Achamos muito tedioso. Preferimos invadir casas e deixar Cds estratégicos
dentro do CD player. O cara acorda e vai ouvir um som e: SURPRESA.

ATAQUE SEIS: O Discreto Charme de Uma Briga de Boteco
Num teatro encenado em um boteco no centro de Curitiba a propriedade privada é
discutida e muitas interessantes questões são levantadas.

ATAQUE SETE: Os Don Juans do Interbairros 1
A ditadura da beleza quase ninguém comenta. Ninguém exceto os Delinquentes de
Curitiba numa divertida viagem dentro do Interbairros 1, o ônibus verde.

ATAQUE OITO: Gurizada Big Mac Feliz
O que vc faria com se achasse 150 Reais na rua? Um monte de coisas legais, né?
Mas a Juventude Delinquente optou por levar uma porrada de meninos de rua pra um
Shoping, pra que os bem vestidos frequentadores soubessem do custo social
daquele consumismo.

ATAQUE NOVE: A televisão me deichou burro muito burro demais
Revoltado com a qualidade da programação televisiva? Jogue sua TV pela janela.

Não deixem de apreciar esta leitura educativa.
Um tiro na boca de todos com Muito Amor & Muito Carinho.
Ari Almeida

Ainda temos a campanha
JOGUE SUA TV PELA JANELA!!!!!!
Acesse o link Djá!!!

VISITE A PÁGINA EM: http://delinquente.blogger.com.br/

Agosto 23, 2003 at 11:59 pm

Teste de Lógica

Um clássico teste de lógica ressurge agora em uma versão em FLASH! Confiram em:
http://smallcampus.net/html/maths_games/2001-05-03/riverIQGame.swf

Cliquem na bolinha para começar o teste.

As regras são as seguintes:

Somente o pai, a mãe e o policial sabem guiar o barco;
A mãe não pode ficar sozinha com os filhos;
O pai não pode ficar sozinho com as filhas;
O criminoso não pode ficar sozinho com nenhum integrante da família;
O barco só pode transportar 2 pessoas por vez.

E não me venham com este papo de que não existe solução para o teste… Isto é conversa de quem não queimou neurônios suficientes 😉

Agosto 17, 2003 at 12:03 pm 2 comentários

Para quem ficou tristinho com a morte do Roberto Marinho…

Documentário proibido sobre o império de Roberto Marinho completa 10 anos

KIKE MARTINS DA COSTA
Colunista do UOL
com a Redação
Reprodução

O documentário “Além do Cidadão Kane”, produzido pela rede inglesa BBC, está completando dez anos e continua inédito no Brasil.

Dirigido por Simon Hartog, a produção tem como personagem principal a figura de Roberto Marinho e mostra os bastidores da criação das Organizações Globo e sua transformação em um poderoso império de mídia, através de um paralelo com Charles Foster Kane, um magnata que é o personagem principal do filme “Cidadão Kane”.

É este documentário que mostra o envolvimento da TV Globo durante o período da ditatura militar no Brasil e revela de que forma a edição de um debate entre Lula e Collor, às vésperas das eleições de 1989, ajudou o candidado Fernando Collor de Mello a vencer as eleições presidenciais.

Recorrendo a uma série de artifícios jurídicos os advogados da Globo tentaram, durante longos meses, impedir a exibição do documentário em qualquer país do mundo. No entanto, em março de 1993, Hartog conseguiu que o Channel Four apresentasse o filme na Inglaterra e, em junho daquele mesmo ano, o então deputado Luiz Gushiken conseguiu uma cópia e promoveu uma sessão em Brasília, na Câmara dos Deputados, para uma audiência super restrita.

O documentário traz depoimentos de Chico Buarque de Holanda, Leonel Brizola e Washington Olivetto, entre outros, e não é a primeira produção sobre o país realizada por Hartog. Anos antes, ele já havia dirigido “Brazil: Cinema, Sex and the Generals”, sobre a produção de pornochanchadas durante o período da ditadura.

Quem quiser assistir ao documentário sobre a Globo pode encontrá-lo disponível em algumas bibliotecas de vídeos na Internet, sob o título “Beyond Citizen Kane”. Se quiser assistir agora, clique aqui para fazer o download.

FONTE: http://www.uol.com.br/radiosetvs/noticias/ult698u5034.shl

Agosto 7, 2003 at 12:26 pm 2 comentários