Archive for Janeiro, 2006

Juiz alemão retira Wikipedia.de da rede

Li na Folha esta pérola do nonsense jurídico com sotaque alemão:

O conteúdo do site www.wikipedia.de, versão alemã da enciclopédia on-line Wikipedia, tornou-se inacessível ontem por uma decisão judicial. As informações deste site são redigidas e editadas por internautas.

A Justiça da Alemanha tomou esta decisão com base em um processo aberto pela família de um pirata virtual. Os parentes de “Tron” –que morreu enforcado em um parque em 1998– não queriam que seu nome verdadeiro fosse revelado. Por isso, processaram a Wikimedia Foundation, responsável pela enciclopédia virtual que tinha a informação.

Não vou nem discutir o mérito da ação, se a Wikipedia teria ou não o direito de divulgar as informações em questão. O absurdo da decisão é retirar a Wikipedia inteira da rede – com cerca de 343.000 artigos – simplesmente porque um único artigo continha informação controversa.

Será que este juiz não tem um neto, para assessorá-lo nestes “casos difíceis”?

Janeiro 20, 2006 at 9:48 pm 11 comentários

Entrevista na TV Comunitária

Gravei hoje uma entrevista para a TV Comunitária de Belo Horizonte de cerca de 1 hora, na qual comento alguns temas do meu livro Fundamentos de Direito Penal Informático e apresento pela primeira vez na mídia televisiva a minha tese sobre a inconstitucionalidade do crime de violação de direitos autorais.

O programa Direito em Debate irá ao ar amanhã, sexta-feira, 20 de janeiro, às 19h30, na TV Comunitária de Belo Horizonte (Canal 13), com reprises no domingo, 22/01, às 7h, na segunda-feira, 23/01, às 9h30 e na sexta-feira, 27/01, às 10h30.

Assistam à entrevista, leiam o artigo e comentem aqui!

Janeiro 19, 2006 at 3:26 pm 1 comentário

O bug das legendas de fotos do Orkut

O Cocadaboa divulgou ontem uma falha de segurança no Orkut que permite que as legendas das fotos sejam alteradas. O próprio Orkut Buyukkokten já foi vítima do bug em seu ábum de fotos. Para evitar gracinhas retirei todas as fotos de meu álbum. Recomendo a todos fazerem o mesmo até que o bug seja sanado.

Janeiro 17, 2006 at 12:21 pm 4 comentários

Classe média

Recebi um email com o vídeo da música “Classe Média” de Max Gonzaga. Achei sensacional o trabalho deste artista independente e por isso estou divulgando aqui.

Baixem o vídeo ou a música no Emule e cantem comigo:

Sou classe média.
Papagaio de todo telejornal
Eu acredito
Na imparcialidade da revista semanal

Sou classe média,
compro roupa e gasolina no cartão
Odeio “coletivos” e
vou de carro que comprei a prestação

Só pago impostos,
Estou sempre no limite do meu cheque especial
Eu viajo pouco, no máximo um
Pacote CVC tri-anual

Mas eu “tô nem aí”
Se o traficante é quem manda na favela
Eu não “tô nem aqui”
Se morre gente ou tem enchente em Itaquera
Eu quero é que se exploda a periferia toda

Mas fico indignado com o Estado
Quando sou incomodado
Pelo pedinte esfomeado
Que me estende a mão

O pára-brisa ensaboado
É camelô, biju com bala
E as peripécias do artista
Malabarista do farol

Mas se o assalto é em “Moema”
O assassinato é no “Jardins”
E a filha do executivo
É estuprada até o fim

Aí a mídia manifesta
A sua opinião regressa
De implantar pena de morte
Ou reduzir a idade penal

E eu que sou bem informado
Concordo e faço passeata
Enquanto aumento a audiência
E a tiragem do jornal

Porque eu não “tô nem aí”
Se o traficante é quem manda na favela
Eu não “tô nem aqui”
Se morre gente ou tem enchente em Itaquera
Eu quero é que se exploda a periferia toda

Toda tragédia só me importa
Quando bate em minha porta
Porque é mais fácil condenar
Quem já cumpre pena de vida

Janeiro 14, 2006 at 12:18 pm 32 comentários

Câmara revoga pregão para a compra de softwares da Microsoft

Foi com alegria que li no sítio Convergência Digital que:

A Câmara dos Deputados decidiu hoje revogar o pregão eletrônico 71-2005, que tinha por objetivo a compra de 14 itens de soluções da Microsoft, dentre eles, 5.692 cópias do MS-Office 2003 Standard e 1.995 cópias do MS-Office 2003 Professional.(…)

Nos bastidores, a revogação do pregão ocorreu por conta das pressões políticas ocorridas nas últimas 24 horas sofridas pelo presidente da Câmara, Aldo Rebelo. Parlamentares defensores do software livre, entre eles, a senadora Serys Slhessarenko (PT-MT), pediram para que Aldo mantivesse suspenso o pregão, até que conversasse com especialistas em software livre.(…)

Desde o último dia 20 a Câmara dos Deputados tenta realizar um pregão eletrônico para a compra de 14 itens de software da Microsoft, cujo preço global estimado era de R$ 7,4 milhões. A área de compras chegou a recusar naquela data uma proposta global de R$ 4,9 milhões. Explicou que os lances deviam ser dados por valores unitários, considerando cada cópia de software a ser adquirida pela Câmara.

O que impressiona é a necessidade de se “conversar com especialistas” para perceber o óbvio: para que gastar R$7,4 milhões em produtos proprietários se os softwares livres estão disponíveis gratuitamente?

Janeiro 5, 2006 at 2:56 pm 5 comentários

Nota de esclarecimento

Informo a todos que alguém criou o email: tulio.vianna@yahoo.com.br com o claro intuito de se fazer passar por mim e causar dano à minha imagem.

Esclareço a todos que o meu email no Yahoo, com o qual recebo as mensagens das listas de discussão do Yahoo Grupos é: tuliovianna@yahoo.com.br

Qualquer outro email gratuito que porventura recebam em meu nome não me pertence e sob ele não tenho qualquer responsabilidade.

O falsário utilizou-se ainda do citado email para criar um perfil falso de Olavo de Carvalho no Orkut. Em relação ao fato esclareço que:

1) Sou crítico das idéias de Olavo de Carvalho, mas até o presente momento não tenho qualquer motivo para ter desavenças pessoais com ele, até porque nem sequer o conheço pessoalmente;

2) Se algum dia eu resolver escrever alguma crítica às idéias de Olavo de Carvalho, por certo o farei por meio de texto a ser publicado em mídia impressa ou na minha página oficial;

3) A catarse por meio de perfis falsos no Orkut é expediente próprio dos pusilânimes e incompatível com o meu histórico de debates intelectuais pela Internet;

4) Meu réveillon foi bastante aprazível e eu não tive tempo ocioso para desperdiçar criando perfis falsos no Orkut;

5) Se eu fosse uma pessoa suficientemente rancorosa e desocupada a ponto de criar perfis falsos na Internet, não seria suficientemente tolo a ponto de usar um email com meu nome e sobrenome.

6) Leandro, eu sei que foi você…

Janeiro 2, 2006 at 12:05 pm 7 comentários